22/06/2017

Sonho Ferido

Imagem: Sarah Maxwell


 O meu sonho voava,
por onde o destino o levava.
Voava livre e contente,
como a pomba que o inspirava.
Às vezes, nas asas do vento,
outras, em contra corrente,
sempre dando largas ao sentimento.
Por aqueles dias, acreditava
que não havia amarras para o conter.
Bastava o seu querer.
 
No entanto, de seguro que se sentia
descuidou o seu voar.
Tal como a pomba que não soube ver
as farpas que não queria,
também o meu sonho acabou a sangrar.
Rasgado de tanto querer
ir, sem saber para onde ia.
Preso nas teias do meio caminho,
lavou-se assim de sangue
o sonho que voava ao sabor do destino.
 
Mas o percurso não acabava ali,
nem o querer que o movia… 



05/06/2017

Dar Vida à Vida

Foto de caspian.ucoz

Perde-se-me o olhar
na imensidão do teu renascer.
Oh alva madrugada, sentida
no leito da emoção,
dos sonhos em ti gerados.
Delírios de noite inacabada,
caminhante, por trilhos
de terra lavrada com paixão.
E mãos de pele rasgada.
Ventre fecundo,
onde a semente volta a crescer.
Nos olhos retenho guardados
mistérios  de adentrar
as entranhas do mundo

… e de novo, dar vida à vida! 


17/04/2017

Apresentação do livro Triunvirato de Uma Alma Inquieta


... é já no próximo dia 22 de Abril e espero-vos todos lá! 

15 H - Sala de Conferências do Hospital de Portalegre 



08/04/2017

Uma flor para ti


Desconheço autoria da imagem 

Uma flor…
é o que eu procuro para te dar,
na densidade deste jardim.
Uma flor límpida e singela,
tal como o que sinto por ti!

Não é vistoso, nem exuberante,
este sentimento que guardo,
no mais recôndito recanto
da minha alma, já desnuda.
Mas é leve e transparente,
como a água da forte corrente
do rio que segue até ao mar!
E no oceano de águas profundas,
também ele se inunda
de saudades, se não te sente.

Por isso…
a flor que eu procuro
não tem de ser a mais bela.
Apenas, límpida e singela,
como o que sinto por ti!



22/03/2017

Olha-me nos Olhos

Foto: ALBERTO LOI

Olha para mim…
olha-me no fundo dos olhos
e diz-me o que vês.
Com certeza, saberás decifrar
tudo o que eu não sei.
Porque tudo o que me preenche,
neste momento, é mistério.
Um certo estado de alma,
que vai para além da compreensão.
Insanidade, talvez…
mas que eu não entendo o porquê.
Diz-me que é normal…
levitar com os pés assentes no chão,
ou pairar sobre as nuvens,
mesmo em manhãs límpidas de Verão.

Olha-me no fundo dos olhos…
e diz-me o que vês!  


20/03/2017

Dar Tempo ao Tempo

Fotografia: Марк Олич

Tenho momentos
em que me falta o alento,
para expandir todo o meu eu.
Tal é a pequenez das horas,
onde a vontade se prendeu.

Queria tanto
ir e derramar por ai fora,
a grandeza deste sentimento.
Render-me, como por encanto,
ao universo, sem a menor demora.

Ir com o vento,
até à infinitude do meu ser.
Apagar o espaço do tempo,
que aprisiona a possibilidade
de  fazer render o pensamento.

E aprender
essa grande habilidade,
talvez, impensável realidade
de enganar para convencer
o tempo a dar tempo ao tempo.


19/03/2017

Conversei com as estrelas - Luísa Vaz Tavares


Tinha a dor presa em mim.
Brutal, com nós impiedosos
que não conseguia desatar.
Nem com a minha força para viver.  

Então fui à janela e
conversei com as estrelas.  
De olhos postos em mim, falei-lhe
de como me sentia pequenina.
Perdida no meu mundo de dor.  
De como me sentia impotente,
perante o tamanho da minha angústia.
Que era a maior de todas.  

E elas disseram-me
que levantasse os olhos de mim
e olhasse em frente o horizonte,  
que se desenhava no céu.
E para lá dele o universo infinito
que havia à minha volta.  
Só para mim, e para quem eu quisesse.  
Universo sem limites, que eu poderia
construir á minha medida .


13/03/2017

Ilusão da Primavera

Foto: Lena Trindade

Devagar,
como quem tem o tempo
ao seu dispor,
a natureza renova-se.
No canto
dos pássaros a voar,
das cigarras de flor em flor,
ou da brisa, como um lamento
pelo vento que se esvai.
Do Inverno,
que passa a esquecer-se,
até que a natureza
caia de novo em pranto
e mais nenhum ai
se oiça, no entanto.
Mas até la,
há este sentimento terno
que a vida é toda amor,
na sua maior pureza.
Qual outra era,
como as que já não há.  
É a ilusão,
provocada pela Primavera
ao mais incauto coração!



08/03/2017

Mulher Madrugada

Foto: Ilona Pulkstene

Era a noite
que viria a ser madrugada.
A noite feita mulher.
Não aquela noite sensual,
de mistério e encanto,
onde ela clandestinamente
domina…
mas uma noite de trevas
e pesadelos mutilantes.

Era a noite
a que a luta quis dar luz.
Luta de Deusas menores.
Sem armas, sem cadafalsos,
ainda assim com a força
emprenhada…
que fez da noite madrugada.
E mais serena continuaria,
almejando o pleno dia.

Mas continua a ser madrugada…



06/03/2017

Vem, se quiseres...

Imagem: Surreal Photos

Vem, se quiseres…
mas vem com a alma plena,
que a jornada não é pequena
e corres o risco de te cansar.
Vem comigo até ao mar,
perder-te nos mil destinos
que há para descobrir.
Experiências de algum sentir,
para um querer não pequenino
de sempre prosseguir.
Prosseguir até ao fim.
Por rotas, às vezes, enlouquecidas
em ânsias perdidas
de tanto querer, enfim…
Não há força que controle
esta vontade desenfreada,
que sinto mais e mais inabalada,
de poder alcançar o sol.
Dançar na lua com as estrelas,
em madrugadas sorrateiras
e volver como se fosse nada
o sentido da contra estrada
que me tenta aprisionar.

Se quiseres, vem…
mas apenas se não te cansares! 



03/03/2017

No Reverso da Tormenta

Desconheço autor da imagem 

Sou pássaro sem asas,
numa manhã de sol.
Voo dentro do meu peito,
com o espírito em brasa.
Coração que, de algum jeito,
dança em ritmo rock and rol.
Em alternância à valsa lenta,
que por vezes  me guia.
Hoje sou fogo ardente,
mesmo na manhã cinzenta.
Resplandeço certa magia,
na reverso da tormenta.



28/02/2017

A Minha Verdade


Foto de Sergey P

Um dia,
vou à tua procura, no infinito.
É lá que estás, tenho a certeza.
Tão grande é a tua áurea,
que não caberia noutro sítio.
Será grande a loucura de tal proeza,
mas eu sou louca por natureza
e encontrar-te é o meu sonho
de encanto mais relevante.
Transcendente, enfim…
o que seria de mim,
neste patamar onde me ponho,
se não fosse louca o suficiente
para continuar a ir adiante,
à procura do meu sonho.
Tão cristalina e transparente,
é esta inocente vontade
de encontrar a minha verdade!


22/02/2017

Conforta-me


Foto de ayumiamaria

Conta-me…
uma história qualquer.
Ainda que seja
apenas para me entreter.
Diz-me…
as palavras que a alma enseja,
nos instantes de menos luz.
E ilumina-me…
como sol em manhã quente,
que sempre me seduz.
Ou dá-me…
a noite numa estrela cadente,
que poisa na minha mão.
Porque…
o conforto não é indiferente,
nem que seja ilusão!



20/02/2017

No trilho dos meus sonhos

Painting by sketchp

Recomeço…
no trilho dos meus sonhos,
uma e outra vez.
Genial embriaguez,
que me permite tais abandonos.

Livres acessos…
às profundidades da minha alma,
sem restrições.
Que assim se acalma
o furor das minhas evasões.

E regresso…
com incomparável lucidez
à leveza de ser.
Para depois adormecer…
uma e outra vez.

E sonhar…  



12/02/2017

Hoje, talvez...


Foto de Bianca Van Der Werf

Hoje, talvez…
hoje, quero ir ver a lua,
desnudar-me perante a noite
e caminhar até um qualquer amanhã.
Hoje, porque depois pode ser tarde
para esta fogueira que ainda arde
na senda da minha fé pagã,
ou para algum querer que açoite
a vontade da essência nua
se mostrar, outra vez.

Hoje, à hora…
quero livrar-me dos medos
que me impedem a nudez.
Deixar para trás as vestes tristes,
indumentária sem sentido
de um momento dolorido,
com que um dia me vestistes.
E com distinta altivez,
mostrar-vos os meus segredos
de viver o agora.



09/02/2017

Mudanças da Vida




Muda…
sempre que te apeteça, muda!
Não te deixes estagnar
como pântano de águas paradas.
Deixa fluir os teus rios,
que são nascentes de fertilidade
em campos de planteio
esperanço. Nem sempre vitorioso,
mas sempre vitalidade.
A vitalidade que exige a segurança
nas curvas das estradas,
que não se sabe o que vão desvendar.
Ainda assim, avança-se…
porque  a alternativa não é a verdade.
A vida exige mudança.
Não, nunca te contentes com estagnar!
Sempre que te apeteça mudar…



06/02/2017

Dias Não Azuis

Fotografia de Tamara L
Com certeza…
se o dia tivesse acordado azul,
haveria pássaros esvoaçantes
por entre os raios do meu olhar.
A áurea que me envolveria
seria apenas de mais um dia
dos que sempre quero conquistar.
Seria de transparências constantes,
com majestosos véus de tule
a realçar a beleza.

Mas hoje, não…
não me sinto assim translucida.
A minha áurea está escarlate,
como uma fogueira que arde,
alimentada pela combustão
dos momentos menos lúcida.
Por isso quero envolver as horas
nas labaredas da minha paixão
e queimar sem demoras
os desígnios deste escape.


03/02/2017

Eu gosto de pessoas

Fotografia de rinaldo romani

É bem verdade que a humanidade me desilude, às vezes. Quando acontecem as maiores barbaridades em nome de um qualquer ideal, quando a compaixão se perde no meio de interesses duvidosos ou até mesmo quando a intolerância perante quem está lado a lado se manifesta, o meu crer desvanece-se com certeza. Chega a quase desaparecer por completo. Porque o propósito da vida não é esse, isso afirmo-o com toda a minha convicção. Mas depois, surgem as coisas mais bonitas que se podem imaginar e torno acreditar.
Porque eu preciso! Preciso acreditar no que me faz bem. E acreditar na humanidade faz-me bem. Serei ingénua, talvez. Ou egoísta, pode-se dizer. Porque esta é a minha forma de sobrevivência. Posso morrer mil vezes de desilusão, mas ressuscitarei sempre a cada gesto de amor universal.

Eu gosto de pessoas…


27/01/2017

Acasos

Fotografia de Marta Cernicka |

Há acasos que podem salvar dias.
Quando o sol não aparece pela manhã
e o canto dos pássaros se deixa de ouvir,
perdido na inquebrável cinzentania
que esconde a esperança, ainda que vã.
Se no vento perdido voa um certo florir
de sementes que fecundam o chão
e irradiam os magnetismos do coração.
Sente-se o perfume que se espalha no ar,
em gotas de total embriaguez.
Síndrome de grande alheamento, talvez,
a tudo o que tende a desintegrar
o destino dos dias que nascem sem aso
e por uma flor que desponta vadia,
são salvos ao acaso.