17/03/2018

Caminhos de Espinhos


Um dia…
caminhei sobre espinhos
e senti os meus pés sangrar.
Pensei que não aguentaria a dor
e tive vontade de parar,
terminar ali o meu caminho,
que a vida não tinha mais valor.

E nesse dia…
abandonei-me ao desespero
que a minha dor alimentava.
Balançou dentro de mim
tudo aquilo em que acreditava.
Sentimento que sempre, enfim
me encurrala onde me esgueiro.

Mas o dia…
não era para acabar ali,
nem as voltas do caminho.
Era só mais um alibi
para a minha alma revoltosa
aprender a não temer os espinhos,
que são eles que levam às rosas. 



Enviar um comentário