22/01/2017

Vou encontrar-te... um dia

Foto de Piotr Kowalik

A qualquer hora
de um dia menos pensado,
vou encontrar-te.
Andarei sem me importar a demora,
estarás em algum lado.
Depois, senhora de ti, vou resgatar-te.

Far-te-ei meu prisioneiro,
capacho dos meus mais vis caprichos.
Dominarei a tua vontade
e com os ferros da prisão, serás ordeiro.
Rastejarás nos nichos,
onde um dia cultivaste a tua vã crueldade.

Saberás que não te aceito,
ainda que queiras fazer de mim marioneta,
sem nenhum tino.
Jamais haverá, na subtileza, algum jeito
da minha alma inquieta
se deixar prender  nas anaias do destino .



Enviar um comentário