26/01/2017

Vem ter comigo

Fotografia de Jana Vanourkova

Vem ter comigo,
em ondas de azul marinho…
mas vem de mansinho.
Quero-te assim, indelével,
a fingir que não te instigo.
Porque o meu querer não é breve,
nem se dissipa em qualquer tarde.
Precisa de sentir entranhares-te,
como a fogueira que arde…
e depois consumir-te num momento,
em braseiro de fogo lento.   



Enviar um comentário