16/01/2018

Viver O Momento

Fotografia retirada da net sem referência ao autor 

Correm rios de poesia
no meu ser fervilhante
e gestante… de sonhos e ideais.
Sempre num frenesim de alegoria
ao próprio instante
da alma, ansiando mais.

Ou dou tudo, ou serei nada…
em trilhos de paixão ardente.
Sou caminhante
na sinuosa estrada,
que me obriga a seguir em frente,
ainda que me torne errante.

Porque o meu instinto é um só:
não te detenhas em pormenores,
de muito ou pouco!
Um dia seremos pó,
com existência em coisas maiores
que este nosso mundo louco.

E o momento é agora,
na encruzilhada do ser.
Para poder ter, nas mãos, o destino
e saber estar, qualquer que seja a hora,
em todo o renascer.
Certa inocência do meu tino… 


Enviar um comentário